top of page
  • Foto do escritorDiana Cruz

Jornada terapêutica com o Journaling: explora novas possibilidades no início do ano


Passadas as festas e aquele cansaço que costuma perdurar depois delas, decidi trazer-vos um tema muito concreto e que representa uma sugestão de prática para este novo ano. Estou a falar de Journaling ou escrita terapêutica e emocional, e gostava de partilhar convosco algumas ideias pelas quais eu, pessoalmente, utilizo esta técnica terapêutica e julgo que não devem adiar mais em começar também a praticar.


Journaling é, no fundo, uma escrita expressiva e muito pessoal que tem um efeito terapêutico e através da qual cada pessoa pode expressar, e desenvolver temas diversos que habitam o seu pensamento, sejam conquistas, preocupações, motivos de sofrimento, ideias e metas, e qualquer outra coisa que lhe pareça relevante naquele momento. Qualquer tema é válido porque praticar o seu journaling implica precisamente isto: o método e conteúdos são altamente personalizáveis – e devem ser. Porque, na sua essência, fazer journaling é terapêutico quando existe honestidade e consistência na sua prática, e quando sente que está a fazer alguma coisa que é verdadeiramente sua e feita para si.


Assim sendo, deixo desde já algumas dicas:


Encontre uma maneira de praticar que o deixe completamente à vontade para escrever de forma honesta e no momento do dia/semana que lhe for mais útil e confortável. É importante que sinta que tem o seu journaling totalmente disponível para si em qualquer momento e que não está exposto ao olhar dos outros e a qualquer intrusão. Neste sentido, reflita sobre se prefere escrever em papel, no seu portátil ou telefone; se quer um caderno que possa ser fechado à chave ou se quer por uma password no mesmo, ou se são outras as medidas que tem de tomar para se sentir perfeitamente íntimo com o seu journal.


Tendo esta questão tratada, precisa de firmar um compromisso consigo no que respeita à frequência e horário de escrita. Não queira estabelecer um compromisso demasiado exigente, mas desafie-se! Para ser terapêutico e poder verificar os bons efeitos desta prática de escrita ela tem de ser frequente e regular. Pode escrever todos os dias? Ótimo! Para escrever todos os dias só se pode comprometer a escrever durante 10 ou 15 minutos, mas não durante 40 minutos? Ótimo também! Se lhe parecer muito exigente pondere escrever “dia-sim-dia-não”, o importante é a rotina, ou seja, a consistência.


Há um aspeto muito importante: escreva mesmo quando lhe parecer que não vai ter nada para escrever. Vai notar que quando se senta para iniciar a tarefa há sempre alguma coisa que vai surgir para sua reflexão – um acontecimento do dia, um motivo de gratidão, um plano para o dia seguinte ou para depois, uma memória… se não se lembrar de mais nada, anote um comportamento/ cuidado que gostaria de ter consigo ou com alguém de quem gosta e um pequeno momento do dia pelo que está particularmente grato.


Não tenha medo de parecer ridículo ou dramático ou intenso ou caótico. Lembre-se que está a escrever só e unicamente para si. Quanto mais verdadeiro e profundo for, melhores vão ser os resultados da sua escrita.


Por fim, para os mais entusiasmados com a ideia, costumo propor que escolham cadernos e canetas que verdadeiramente gostem. Eu ADORO! Tenho uma coleção enorme de cadernos e estou sempre a adquirir mais um.



E porquê fazê-lo?!


Porque estudos demonstram que a escrita terapêutica contribui em muito para o bem-estar emocional, para o aumento do autoconhecimento e da autoestima (sobretudo se mantiver o hábito de escrever também sobre as suas conquistas e pontos favoráveis), para um maior desenvolvimento pessoal, na medida em que é uma prática que lhe permite estar muito atento aos seus objetivos e progressos e melhorar as suas competências de resolução de problemas.


A escrita emocional alimenta também a sua capacidade de reconhecer, consciencializar-se e expressar as suas emoções, ajudando-o a lidar melhor com elas e a regulá-las e a reduzir o stress. Isto faz também com que seja um ótimo ajudante para quem tem sintomas de ansiedade e de depressão e, consequentemente, contribui também para melhorar o funcionamento do seu sistema imunitário, logo, também a sua saúde física geral!


Já viu todos os benefícios que pode encontrar na prática consistente de journaling?


E, sobretudo, é um momento do dia em que pensa em si, na sua vida, naquilo que pensa e sente… é um momento seu. Acredite, além de muito útil, pode vir também a tornar-se muito divertido.


Ah! E pode desenhar, anotar frases, poemas e outras coisas que queira registar na memória ou que lhe façam sentido por qualquer motivo. Aproprie-se do seu caderno!

E, se lhe apetecer, venha partilhar a sua experiência e progressos.

bottom of page